img { max-width: 100%; height: auto; width: auto\9; /* ie8 */ }

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Paz interior

Embora nos últimos tempos eu tenha tido uma montanha de problemas sobre as minhas costas com o bônus de uma perda irreparável e a busca incansável por um sentido para retomar a vontade de (sobre)viver, eu tenho tido alguns momentos de paz.
Vendo um filme, ouvindo uma música, cantando no karaokê ou tendo uma conversa descontraída, eu consigo me livrar de todos os pensamentos tristes que tem me acompanhado, sinto-me bem, limpa, em paz, porém até um certo limite.


Não sei se é comum se sentir assim, mas quando estou bem fico procurando motivos para acabar com esse momento de trégua, como se fosse errado eu estar feliz, como se eu não merecesse a felicidade, como se a minha mente tivesse a necessidade de estar 24h em pleno caos. Minha "voz interior" então fala:

- Por que vocês está sorrindo? Por que está nessa tranquilidade toda? Por que não está contendo a vontade de chorar? Você SABE que não deveria estar assim, isso não deveria fazer parte de você.

Parece cruel, mas traduzindo as emoções em palavras é exatamente assim. Sinto-me culpada, ingrata e confusa. Fico mal, acabo-me na tristeza que volta tão rapidamente que mal posso me lembrar como me sentira há cinco minutos.

Isso também acontece com vocês?

Nenhum comentário

As palavras são as nossas aliadas. Tecnologia do Blogger.
© Espectro Alma
Maira Gall